CMM aprova financiamento de R$ 105 milhões para o viaduto do Coroado

Empréstimo a ser contratado pela prefeitura financiará as obras já licitadas e em andamento do viaduto do Coroado, a passagem de nível da Paraíba com Ephigênio Salles e as novas obras viárias previstas para a área do bairro Adrianópolis

É possível que, agora, o prefeito Serafim Corrêa não precise mais de um outro mandato via reeleição, é claro, para concluir as obras do atabalhoado viaduto da Bola do Coroado.

Com dinheiro no cofre à vontade – R$ 105 milhões autorizados pela Câmara Municipal para ser contratado com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) -, até mesmo para os costumeiros aditivos, a obra deve ser concluída nos próximos 280 dias (dezembro) a contar do dia 7 de março.

Isto é: se por um infortúnio do destino novas vigas não voltem a despencaram chão abaixo, como ocorreu no dia 14 de julho do ano passado.

Aliás, independentemente da estratégia política do prefeito Serafim Corrêa para o pleito municipal vindouro, do qual é candidatíssimo à reeleição, esse viaduto tem histórias cabeludas que até hoje causam arrepios só de ouvir falar nelas. Senão vejamos.

Tão logo foi noticiado o desabamento da viga levantada, que feriu nove trabalhadores em atividade laboral, o Conselho Regional de Engenharia do Amazonas (CREA) confirmou que as três empresas subcontratadas pela Camargo Correapara a realizarem serviços na obra do viaduto, estavam operando irregularmente no estado.
Ainda de acordo com o Crea, as empresas Senso, CS Ltda e Consarg, à época, não teriam registrado no conselho as Anotações de Responsabilidade Técnica (Arts).

Somente depois do acidente foi que procuraram o Crea para que pudessem operar sem embaraços no Amazonas.

De igual modo, em junho de 2007, o Ministério Público Estadual (MPE) concluiu que houve irregularidade na subcontratação de empresas pela construtora.

Por isso, pediu a participação do Tribunal de Contas do Estado no inquérito civil para investigar possível crime de improbidade administrativa dos gestores do município na contratação da Camargo Correa para a construção da obra.

Naquele mesmo período, o Promotor Edgard Maia de Albuquerque, da 70° Promotoria de Justiça da Fazenda Municipal, solicitou ao Crea que informasse se as empresas Senso Engenharia, Consargo- Construtora, J. Nasser Construções, Construtora Itaipu e Construtora Soma , subcontratadas para executar parte da obra do viaduto, estavam habilitadas e autorizadas para executar o projeto.

Deixe um comentário

Filed under Cidades

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s