O Malfazejo – Ismael Benigno

Estaria Serafim Corrêa vivendo seu inferno astral? Ou a engenharia por trás dos ataques governistas seria uma jogada de mestre para elegê-lo no primeiro turno?

Millôr Fernandes, o melhor frasista deste país de gente incapaz de articular uma frase, disse que jornalismo é oposição, o resto é armazém de secos e molhados. Millôr estava certo, como tantas vezes. Desconfie do jornalismo adjetivista, dos releases enlatados que preenchem buracos de fechamento de jornal. O jornal esqueceu de cobrir as denúncias que recaem sobre o governo, e em vez disso noticiou que o governador ganhou um prêmio? Vire a página, feche o jornal. Melhor, limpe a janela ou enrole o peixe com ele. É tudo o que vale um jornal vendido.

Mas não sou jornalista, não prestei juramento íntimo de defender a isenção jornalística. Este sacerdócio é escolha dos mais elevados, que amam a notícia, seja ela qual for. Eu não amo a notícia. Eu não amo o governador, o prefeito, o deputado ou o vereador, muito menos o presidente. Eu não amo ninguém que não deva amar. Por outro lado, detesto safadeza. Acho ridículo um pai de família puxando o saco de outro homem. Detesto cara-de-pau, malandragem, cafonice, mau gosto, cinismo.

Veja o novo deputado Chico Preto, rejeitado pelas urnas mas resgatado por Dom Eduardo II. Em mais uma de suas encíclicas papais, Dom Eduardo II, que ainda não explicou por que paga por obras fantasmas, disse que vai ajudar Manaus, pois a cidade está “uma tábua de pirulito”. Comentário devidamente rebatido pelo prefeito, surge o novo mosqueteiro Chico Preto, dizendo exatamente o seguinte: “Manaus está uma tábua de pirulito”. Dito isto, o deputado biônico chama o prefeito de papagaio de pirata, por repetir as denúncias que Arthur Neto vem fazendo contra a nave mãe, Dom Eduardo II.

Chico Preto, cínico como só um governista pode ser em tempos de hegemonia legislativa, ignora o que é fato. Se o prefeito lembra que Dom Eduardo II paga por obras fantasmas, não é porque repete Arthur, e sim porque repete o que toda a cidade comenta e pergunta. Os sucessivos escândalos de corrupção do governo Braga – marca registrada dos governos Amazonino e Alfredo Nascimento, coincidentemente – são crimes que agitam a opinião pública. Alguém acha que a opinião pública vai se contentar com o esforço situacionista para abafar o assalto aos cofres do estado?

A verdade é que, pela lógica e pela história política do Amazonas, Serafim Corrêa ocupa há quase quatro anos uma cadeira que não deveria ser sua. Como pode um homem que paga seu almoço do próprio bolso ser o prefeito dessa cidade? Como pode um homem que tem endereço fixo e sabido ser o prefeito de Manaus? Como pode um homem sem empreiteiras, gráficas, um homem sem concessionárias e sem locadoras ser o prefeito de Manaus?

É o que muita gente se pergunta. Para estas e outras centenas de perguntas, a resposta dos descontentes é que Serafim foi um acidente de percurso, um vacilo do Negão. Imagine, a tomar pela ausência de escândalos de corrupção na administração Serafim, a quantidade de gente que vem amargando vacas magras há quatro anos. A vitória de Serafim em 2004, além de tudo o que representou para tanta gente que não negocia com ladrão (sim, ainda há gente assim), pode ter materializado a fábula da cigarra e da formiga. Com esta entressafra de quatro anos, muita gente precisou deixar de ser cigarra e aprendeu a ser abelha, digo, formiga. Ainda que essa gente volte a circular pelas folhas de pagamento e pelo Diário Oficial do município a partir de 2009, terão aprendido uma valiosa missão: a de guardar comida para eventuais novos invernos, invernos inesperados como Serafim Corrêa.

Chico Preto, o papagaio de pirata biônico de Dom Eduardo II, acusa Serafim de “desbundado”. Relevemos o limite do puxa-saquismo político, as coisas são assim mesmo. Mas apelar para a comparação infantil, chula e descabida dos dotes lombares de Serafim e Eduardo é covardia, até porque frente ao chefe de Chico Preto a Mulher Melancia, inclusive, é desbundada.

Mas deixemos a anatomia do poder de lado. Chico Preto chama a administração Serafim de temerária, e diz que o prefeito não deveria se ofender com as indiretas de seu chefe. A administração temerária de Serafim reformou todas as Unidades de Saúde da cidade – são 158 casinhas. A administração temerária de Serafim construiu e reformou 32 escolas, criou a primeira escola para alunos com deficiência, regularizou a posse de terras, construiu a melhor maternidade da cidade, o viaduto mais barato que Manaus já teve (pago depois de construído!), resolveu o problema dos remédios da rede municipal, implantou a bilhetagem eletrônica e a integração temporal nos ônibus. A administração temerária de Serafim publica na internet os números de sua gestão. A administração temerária de Serafim cortou gastos, agilizou serviços, demitiu fantasmas, utilizou dinheiro próprio em suas obras. A administração temerária de Serafim levou água para gente que nunca teve água, plantou 1 milhão de mudas na cidade, construiu o aterro sanitário, modelo de tratamento de lixo já visitado por governantes de outras cidades, criou reservas ambientais, construiu parques e praças, restaura o Mercadão, reforma quadras de esporte, incentiva o artista popular, patrocina atletas amazonenses. A administração temerária de Serafim se mostra como é, gerindo a cidade com dinheiro da cidade. É compreensível que a cidade queira sentir-se o que dizem que é, a quarta capital mais rica do país, com Julio Iglesias no Reveillón e atores globais pagos a peso de ouro no festival de cinema.

A verdade é que Serafim precisa sair dali. Um homem daqueles não pode ficar à frente de uma cidade que precisa tanto, e novamente, de novíssimos postos de saúde superfaturados, de novas escolas superfaturadas, de novos lotes de remédio superfaturados, de novos estoques de merenda superfaturados, de novos sistemas de transporte coletivo superfaturados. Um homem desses é uma ameaça à segurança alimentar, uma ameaça de miséria àqueles que dedicam sua vida inteira ao ramo das licitações.

Amazonino Mendes, Eduardo Braga, Omar Aziz, Átila Lins, Silas Câmara, Paulo de Carli, Sinésio Campos e Carlos Souza precisam, novamente, de novo, toda hora, salvar a cidade, reconstruir tudo do zero, demolir os CAICs e inventar os CIACs, implodir as Casinhas da Saúde e criar as Centrais de Saúde. Eles precisam acabar com o Médico da Família e implantar o Doutor da Família, precisam decretar o fim do Expresso e criar o Ajato, eles precisam trocar o Terceiro Ciclo pelo Zona Franca Verde. Saiba você, leitor, que tem gente louca pra reconstruir Manaus, de novo, novamente, mais uma vez. As empresas de publicidade precisam bolar campanhas inteiras e novinhas, precisam de novos ares, novos desafios, assim como os donos das empresas de ônibus, os vendedores de material escolar, os jornalistas, os construtores, os vendedores de tinta, de areia, de cimento. Os recauchutadores de pneus precisam de contratos com a Prefeitura novamente. O Waldir Corrêa precisa voltar a viver de algo mais do que de seu programa matinal. É muita gente vivendo de comida racionada há quatro anos, meu irmão.

Serafim pode estar às vésperas de sua saída do cargo, é verdade. Serafim esteve às vésperas de perder em 2004 também. Vem sendo chamado de desbundado pelas Meninas do Dudu, vem sendo “esquecido” em eventos oficiais. Serafim vem sendo monitorado pelo Ministério Público Estadual pra não fazer propaganda política fora de hora, vem sendo chamado de decepção, incompetente, frouxo, burro, papagaio de pirata e coisas parecidas. Serafim vem sendo atacado, veja só, por Wallace Souza, que da tribuna da Assembléia cobrou que Serafim explicasse onde vêm sendo aplicados os recursos que Manaus recebe dos convênios do Governo Federal. Wallace exigiu também que o Ministério Público Estadual faça uma devassa nas contas da Prefeitura. Uma dica a Wallace e ao combativo MPE: de seus próprios gabinetes abram o navegador de internet, digitem http://www.manaus.am.gov.br/transparencia e teclem ENTER. E boa devassa.

Mas vamos a Wallace. Wallace é um dos Irmãos Coragem do Amazonas. Outro deles é Carlos, que dia destes disputava com outra beleza rara amazonense, Sabino Castelo Branco, a simpatia de Paulinho Perneta. Depois de reestrearem seus programas de tevê em dia de batente em Brasília, cada um dos dois agarrava um dos braços de Paulinho Perneta, o maior traficante do Santa Etelvina. Carlos é candidato a candidato para que cargo? Sim, a Prefeitura petulantemente ocupada por Serafim. É claro, vai precisar se entender primeiro com o sortudo Francisco Garcia, o pé quente das loterias, que é o dono regional do partido de mensaleiros PP. Mas convenhamos, conseguir estrelar um programa de tevê a cinco meses das eleições é um bom começo.

Wallace, que cobra a devassa do Ministério Público Estadual nas contas da Prefeitura, responde ao processo 2006.003429-8 no Tribunal de Justiça do Amazonas, por denúncia exatamente do MPE. O processo nasceu em agosto de 2006, mas a denúncia só foi aceita em outubro de 2007, mais de um ano depois, porque os desembargadores que eram sorteados para julgá-lo declaravam-se suspeitos e pediam pra que o passassem à frente. Neste tempo todo houve várias petições impetradas pelo advogado de Wallace e adiamentos do julgamento, de forma que ainda hoje o deputado não foi interrogado.

Em 2002, Wallace disse ao TRE que era pobre, não tinha patrimônio nem dinheiro algum. Ou seja, elegeu-se só com a coragem mesmo. Em 2006, depois de quatro anos recebendo aproximadamente R$ 10 mil como deputado, Wallace voltou ao TRE, mas desta vez declarou possuir patrimônio de meio milhão de reais (exatamente R$ 497.652,65). Foi o deputado que teve o maior crescimento patrimonial entre 2002 e 2006.

Carlos, seu irmão (aquele que disputa bandido com Sabino), é radialista, professor e biólogo, e declarou à Justiça Eleitoral ser dono de R$ 1.477.933,00, ou, arredondando e escrevendo por extenso, um milhão e meio de reais. Responde ao processo sigiloso no inquérito 2265 no Supremo Tribunal Federal, por crime contra a administração pública, corrupção passiva e concussão. Já foi foi do PL, do PP, do PPB e do PSC.

Marlúcia Chiroque, irmã dos dois, ocupava cargo fantasma na ALE. Você lembra do caso dos fantasmas do Belão, que adulterava o Diário Oficial e dava um jeito de pagar salários duplicados para um só cargo? Faz tempo, você não deve lembrar, afinal, muitos outros escândalos já ocorreram desde lá. Mas não fique triste nem ache que é mau cidadão. Se o MPE não viu problema algum no fato de o presidente do poder legislativo contratar fantasmas e adulterar o Diário Oficial, relaxe, você deixa de ter essa obrigação.

São estes os deputados amazonenses que se revezam nos ataques a Serafim Corrêa. São, repito, deputados amazonenses. Precisa dizer mais? Posso estar redondamente enganado, mas Serafim não precisa se preocupar com o que deputado amazonense anda falando dele. Se você estiver perdido, pedir ajuda a um deputado amazonense e ele disser pra entrar à direita, não pense duas vezes, vá para a esquerda.

Convenhamos, se os atuais deputados amazonenses estão falando mal de alguém, uma coisa é certa: essa pessoa presta.

Visite o site da Transparência Brasil, uma ONG que presta. Pare de ouvir o que deputados amazonenses dizem e procure a verdade. A Transparência Brasil tem um banco de dados de todos os estados brasileiros. Só não dispõe ainda de informações sobre o que acontece na Assembléia Legislativa do Amazonas. Está lá a explicação: “O sítio de Internet da Assembléia Legislativa do Amazonas [o famoso Blog do Belão], que conta com 24 deputados, nada informa sobre a atividade parlamentar de seus integrantes. Inexistem informações sobre gastos de gabinete, viagens realizadas, presenças no Plenário e em Comissões e assim por diante.”

Relaxe, prefeito. Com inimigos como os deputados amazonenses, quem precisa de amigos?

Para sugerir temas, fazer críticas e comentar o que você lê nesta coluna, escreva para ismaelbneto@gmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s