Pupunha de BC usada como melhoramento genético

O programa foi iniciado em 2002, pela Embrapa e hoje já existem vários núcleos de plantios nos dois Estados

Saiu das matas do município de Benjamin Constant, no Alto Solimões, a pupunheira cujo germoplasma serviu de base para o programa de melhoramento genético e adaptação desta palmeira nos Estados do Paraná e de Santa Catarina.

A plantação de pupunheira no Sul do Brasil ocorre em áreas de mata atlântica – hoje abandonadas pela agricultura – e é destinada à produção de palmitos. Por outro lado, essa atividade diminui ainda a pressão sobre a palmeira juçara, nativa da região, que está quase extinta.

O programa foi iniciado em 2002, pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e hoje já existem vários núcleos de plantios nos dois Estados. Esses núcleos estão localizados nos municípios do litoral, cujas condições de chuvas e de temperatura são propícias à produção de pupunha, e também no nordeste do Paraná e Santa Catarina, onde as condições climáticas obrigam o uso de irrigação nas plantações.

Os técnicos da Embrapa já estão colhendo os primeiros resultados desse trabalho, observando que as palmeiras do Sul do Brasil apresentam características semelhantes às de seus parentes amazônicos.

A altura da planta, seu diâmetro, o número de perfilhos e o peso dos palmitos não são muito diferentes das palmeiras nativas da Amazônia e estão sendo comparadas com plantações do Peru, que responde por boa fatia do mercado de palmitos no mundo.

Comercialização

de palmito

O projeto palmito de pupunha é uma alternativa sustentável para aproveitamento de áreas abandonadas pela agricultura, em locais onde antes havia mata atlântica, e visa desenvolver um sistema de produção para dar suporte à atividade de palmito cultivado. A pupunheira oferece ainda alternativa de fonte de renda às populações desses dois estados devido sua alta produção por unidade.

Segundo informações da Embrapa, o cultivo de pupunheira para a comercialização de palmito é viável, principalmente como fonte de renda alternativa para grupos de agricultores familiares.

Todo o processo de coleta e conservação do palmito exige pouco investimento e torna possível a venda do produto no mercado local ou mesmo em grandes redes de supermercados.

A pupunheira é planta nativa da Amazônia e serve para várias finalidades, como a produção de palmito e frutos comestíveis ou para uso de ração animal, de excelente valor nutritivo. Suas folhas podem ser utilizadas como forragem para animais ruminantes, para a cobertura de casas e abrigos e sua madeira serve para a fabricação de artesanato e arcos.

Sua vocação mais comum, atualmente, é a produção de palmito de excelente qualidade culinária, que é vendido em vidros para exportação ou consumo local in natura ou como palmito fresco. Esta última modalidade somente é possível com o palmito de pupunha, que se oxida mais lentamente que os originários de outras palmeiras, como açaí, juçara e palmeira real.

Já os frutos da pupunheira são ricos em betacaroteno e muito apreciados, quando cozidos, pelas populações amazônicas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s