O Portal do Inferno

Na esperança de angariar fregueses, cada loja toca a sua música ou a sua propaganda. Agora, mais recentemente, introduziram livremente na cidade a “motoberro”, pilotada por um motoqueiro

O Centro de Manaus parece mais um hospício de drogados. No entorno da Praça da Matriz, na Marquês de Santa Cruz e até nas proximidades do Colégio Militar, passando pelas demais ruas do “centro histórico”, tudo o que se ouve é uma balbúrdia só.
Nas calçadas, vendedores batem palmas e gritam desvairadamente. Na esperança de angariar fregueses, cada loja toca a sua música ou a sua propaganda. Agora, mais recentemente, introduziram livremente na cidade a “motoberro”, pilotada por um motoqueiro.
Só que na garupa eles instalaram uma bateria de poderosos alto-falantes, estrondando publicidade misturada a músicas, sem se incomodarem com os ouvidos alheios.
E isso, noite e dia, chova ou faça sol!
Como se isso não bastasse, os restaurantes entraram na disputa, promovendo o “trombadão gritante”. Trata-se de vendedores que ficam à margem das calçadas, agarrando os passantes para metê-los quase à força nos restaurantes.
“Entra freguês! Entra freguesa! Coma a nossa que é boa e barata! Cozinheiro veio do Piauí!
E como a fiscalização da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sedema) é inócua, e as penalidades brandas demais, a poluição sonora campeia e progride livre por Manaus.
A impressão que se tem é que muita gente por aí é cega e ficou surda de tanto ouvir barulho.

Arrepende-te irmão!

E tem mais: evangélicos das mais estranhas seitas instalados no centro da cidade e terminais de passageiros, botam a boca no trombone estridente – sabe-se lá com quantos decibéis – e metem o maior medo na galera, falando sobre os castigos que afligirão as almas dos pecadores que forem para o inferno.
“Arrepende-te irmão! Aleluia! Paga pelo pecado que cometeste! Amém? Se teu pecado é grande, tua oferta também tem de ser! Senão o Senhor não perdoa! Há pá lá tá pla, tá escrito?” Aí, o “fiel” enche a sacolinha e se sente “perdoado”, aliviado e feliz!
Segundo esses “sacerdotes”, todos os males do inferno são superlativos. Ou seja, eles vêm de montão, são todos enormes e o que é pior, eternos! E vão desde fogo e ranger de dentes, até a morada das almas no inferno.
Outros castigos podem ser considerados, como passear pelo Centro de Manaus, sendo perseguido pela enorme poluição sonora que depõe contra a condição de “cidade civilizada” que em outras épocas esta capital já gozou.
Na verdade, o Centro de Manaus é uma feira livre. Uma mistura de panelaço com buzinaço. E da pior espécie; é como se a cidade não tivesse educação. Nem governo. O pior disso é que o Centro de Manaus, cidade com “vocação turística”, não tem banheiros públicos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s