Zé da Moita

É inequívoco que a campanha eleitoral para Prefeitura de Manaus já começou. E seus sinais já estão no ar. E de que forma?
Eduardo Braga é o”rei do gado” e em certas emissoras de rádio local a trilha sonora da novela “O Rei do Gado”, em alusão ao governador, já desponta nos primeiros lugares de audiência  dos ouvintes manauaras.
Parece até que neste momento, a tal trilha sonora virou o hino da administração estadual. Então, viva o rei do gado.
Para os críticos de Serafim, ele não passa do Barriquelo da política amazonense, que se contenta em ser perdedor e que para tudo tem uma justificativa que alimenta a sua personalidade de um doentio sadomasoquista da política local.
Serafim, para muitos que não o conheciam, e que agora o julgam pelo seu trabalho, é mais azedo do que limão. Difícil de se tragar.
Serafim gosta de bater e como a sua administração é frágil não suporta um pequeno assopro da boa crítica. Gosta de atribuir as suas culpas e seus erros a outros que nada tem a ver com a sua drástica história na prefeitura da cidade.
Serafim diz que tudo que se fala contra ele é obra do ex-governador Amazonino Mendes que, como se sabe, continua figura incógnita no quadro da sucessão municipal.
Portanto, as acusações de que algum comunicador estará a seu serviço, tachado por Serafim de “língua de aluguel” não passa de evasivas e devaneios do prefeito.
A hora é essa. A campanha já está nas ruas.
Lideranças como Arthur Neto, Ângelus Figueira, Praciano, Rebeca Garcia e tantos outros começam a despontar no cenário eleitoral.
Daqui por diante, esse é o clima. Esse é o ar que vamos respirar. Agüente quem puder porque essa atmosfera às vezes exala veneno e podridão.

Desastre fluvial 2

Nosso não-sistema de controle fluvial beira à chacota. Não existe nenhum tipo de controle a não ser a tentativa de se contar o número de mortos, por si só um exercício de “chutometria”. Assim é que se desincumbem nossas “otoridades” quando da ocorrência de mais um daqueles naufrágios anunciados. Aqui no Amazonas, essa terra de ninguém, sem lei e sem ordem, a não ser “o direito de não reclamar” da falta de direitos, os barcos que daqui saem ou chegam são uma incógnita, daquelas capazes de dasafiar os melhores matemáticos. Quem são os proprietários? Ninguém sabe. De onde vieram, pra onde vão?Grande indagação filosófica! Onde foram construídos? Onde foram autorizados a navegar? Que carga suportam? Quantos passageiros comportam? Quem os pilota? O quê? Quanto? Quando? Onde? Por quê? Bem, isso já é querer saber demais! Pra isso é necessário que alguém trabalhe… Mas isso já é querer demais…Pra isso é necessário que haja algum organismo público que seja responsável…Mas isso já é querer demais…Pra isso é necessário que haja algum dirigente responsável por esses “organismos’…Mas isso já é querer demais…Vão pro inferno o governador, o prefeito, a capitania dos portos e todos os irresponsáveis do setor!

Marina, você se pintou…

…de miratinga pra cima do Lula! Marina, você fez de tudo, e ainda fez um favor…Você deu uma “no olho” do Lula. Corajoso como ele é, que gosta de demitir pelo telefone como fez com o senador Cristóvam Buarque do MEC, agora teve o “troco” que merece. Todo autocrata não suporta ser desafiado nem na hora de “descer o cutelo na vítima”. Quer ele mesmo baixar o braço e não admite “auto-execução”, suicídio político. Ainda mais quando isso o deixou malvisto na comunidade internacional. Bem feit o! Engraçado foi a patetada para encontrar alguém pra “tapar o buraco”. Minc ou Viana? Viana ou Minc? Que dúvida! Qualquer um será menor que a Marina! Como símbolo! Na verdade ela deixou muito a desejar como gestora. Nisso é igual aos seus pares.

Bate-palma

Bateram pro Zé que o prédio do JG Araújo que vai se transformar em shopping de camelô não é o antigo prédio que fica entre a Av. Eduardo Ribeiro e a Rua Mal. Deodoro, mas sim o que fica próximo da antiga Câmara Municipal. Tudo bem, não altera o que se disse aqui acerca das quinquilharias que atraem as donas de casa barateiras ao “ bate-palma”, pois não!

Propaganda competente

Finalmente, apareceu alguém pelas bandas do Sarafa que entende um pouco de propaganda. Não é que estão muito competentes as historinhas e arrazoados quanto ao que foi feito e o que falta fazer! É isso aí! Não adianta encobrir os fatos, tem de explicar e demonstrar as possibilidades de cumprir as metas. Parabéns ao marqueteiro do Prefeito! Se isso vai funcionar, é outra história…

Barco fininho

Atestam as sumidades da construção naval do Amazonas que o barco-cheio-bem-carregado que matou 60 pessoas no Solimões, era bem fininho. Ou seja, foi reformado e passou de um para dois pisos somente para  caber mais gente.Morta, pelo visto. Quando veio o banzeiro forte,o barco sem estabilidade balançou pro lado direito, balançou pro esquerdo, e o pessoal nessas horas segue o ritmo do barco e…chuá. Ainda por cima com as lonas amarradas dificultando a saída das pessoas  debaixo dágua. É mole?

Vendendo as mães

Bom vendedor vende até sorvete pra pingüim! Essas datas ditas festivas de mães, pais, filhos, santos e santas, se tornaram na verdade datas comemorativas de “boas vendas”. O materialismo de nossos tempos é tão acachapante que as pessoas que não podem presentear seus “queridos” se sentem diminuídos e até mesmo envergonhados de apenas demonstrar seu afeto com um simples carinho. Até uma rosa custa caro hoje em dia!

O verão é nosso

Pelo que tudo indica, são as águas de maio fechando o inverno e o calor maldito anunciando o verão, quando não pára de chover nem pára de fazer calor. Aqui é o “inferno verde” de Da Cunha, mano! Pelo menos vamos agora engolir poeira no sol, e lama na chuva. E pára de reclamar, rapaz!! Quem mandou querer morar na Zona…Franca…de Manaus?

Dudu serelepe

Esse Dudu está aprendendo com o Lula Molusco! Como fala esse rapaz! Só que as perguntas ele mesmo faz e ele mesmo responde, que não é leso…Vá lá que apareça um desses espíritos-de-porco e faz uma pergunta sobre suas habilidades para ganhar dinheiro…Como é que fica? Fica mal, ora. Assim é que ele escolhe os que vão lhe fazer pergunta de acordo com o script previamente acertado. Não pode perguntar sobre: “como ganhar dinheiro sem fazer força”; ou “como se dar bem na vida, rápido e sem dificuldades”, ou como “vender serviços de manutenção de veículos da PM a partir da fábrica…” quá-quá-qua´!

A tribo de dan

Esse “irmão” que tomou conta da PM, depois da compra dos carrões, se enrolou com a “dona justa”! Tem de fazer valer a decisão judicial de “botar a negada na rua” de uma área invadida;  mas seu “maninho” que é candidato a prefeito, não pode posar de algoz da moçada. Bem feito! Quem manda serem “gulosos” por cargos públicos esses “irmãos”? Seja cargo para “bater”, seja cargo para “assoprar”…

Bancos à tripa-forra

Como lucram esses “nossos” Bancos, coitados! De tanto ganhar dinheiro não sabem mais o que fazer para guardá-los. Como não sabem, emprestam de volta pra nós a taxas maiores ainda e assim seus lucros ficam cada vez maiores e eles vão ganhando, ganhando…Tudo bem que eles ganhem, mas quando é que nós, da patuléia, vamos ganhar algum? Nunca?

Dá-lhe massa!

Finalmente, o nosso Massa “amassou” e comeu o “pão” na F1. Ganhou na Turquia! Dizem que a pista de lá é dele. Só dá Massa há três anos. Eu quero ver é ele ganhar o campeonato! Esse negócio de ganhar na Turquia e depois perder o campeonato não serve pra nós, que acostumamos a ganhar na F1 desde o Fittipaldi…Com Piquet, nem o Piquezinho…O Sena “bateu de frente” e morreu…Ganha só esse Massa! Aí, a gente pára de encher o teu saco. Só o do Barriquebra…

Epidemia de “dordólho”

Vixe! Mais uma epidemia está grassando na cidade. Desta vez, nem dengue, den malária. É o “dordólho” maninha. É todo mundo de olho roxo sem ter levado nenhuma porrada. Mulher de malandro tira as broncas…Tomara que pegue no Dudu e demais autoridades da Taba.

Igreja limpa $$

Querem outra maneira de limpar dinheiro sujo? Fundem uma igreja, dessas populares, que fazem “milagres” à rodo, que atraem multidões de incautos (ia dizer otários, mas pega mal), desses que gostam de ouvir contos da carochinha e de ser enganados com promessas de paraíso fácil, com estrada larga, sem sacrifício, sem conversão, sem arrependimento e sem abandono de pecados, que se pode comprar com dinheiro…Mas tem de rezar no catecismo do capeta…E o castigo não vem nas urnas!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s